"Abre a tua boca a favor do mudo... - Provérbios 31:8" ANO 25  
Menu
Início
Notícias
Nossa História
Artigos
Links
Fale Conosco
Fotos & Flashs
Enquetes
Igreja Presbiteriana
Audio (Podcast)
Video
Biblia Online
Teatro
Quem somos?
Peças
Oficina
Agenda
Notícias
Música
Quem somos?
Homenagem
Agenda
Notícias
Jornalismo
Quem somos?
Jornal ENFOK
Projetos
Agenda
Notícias
Procurar


Sermão 26 de Julho 2009 - Igreja Presbiteriana de Rio Doce (Podcast) PDF Imprimir E-mail

"Suco de Uvas com Lágrimas"

Sem. Edson Júnior
Para você que não pode ir a Igreja ou gostaria de reviver o momento da pregação, estamos disponibilizando em fase experimental a pregação dos pastores da nossa igreja. Abaixo segue o link para você baixar o arquivo em formato MP3 para você escutar no carro, no ônibus no seu MP3 Player ou escutar em casa mesmo. Se você deseja adquirir o CD com esta pregação, mande um email para Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email solicitando uma cópia. Para baixar o áudio da pregação, basta clicar no link abaixo:
Obs: Caso você não deseje baixar o arquivo, mas escutá-lo diretamente no seu navegador, na página do Download, existe uma opção para isto.


poscast
Áudio da Pregação do Sem. Edson Junior 
Formato: MP3 
Tamanho : 29MB 
Tempo Aproximado: : 30 min


 

Com lágrimas misturo o que bebo. (Sl 102.9.)


Quem mais fala em lágrimas na Bíblia é o salmista. No Salmo 6, o poeta diz: “de lágrimas encharco o meu leito” (v. 6). No Salmo 42, explica: “Minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia e de noite” (v. 3). No Salmo 56, pede: “Recolhe [ó Deus] as minhas lágrimas em teu odre” (v. 8). E agora, no Salmo 102, confessa: “cinzas são a minha comida, e com lágrimas misturo o que bebo” (v. 9).

Que falta de gosto! Misturar suco de uva com lágrimas, leite com lágrimas, café com lágrimas, chimarrão com lágrimas, guaraná com lágrimas. A bebida fica ruim. Pior ainda é a comida: “cinzas são a minha comida”.

Esse destempero tem razão de ser. O culpado é o próprio salmista. Ele está bebendo e comendo o que plantou. É a lei inexorável de causa e efeito: “O que o homem semear, isso também colherá” (Gl 6.7).

O poeta tem plena consciência de sua culpa: o prato de cinzas e o copo de suco de uva misturado com lágrimas ligeiramente salgadas são por causa da indignação e da ira de Deus em decorrência de seu pecado. Ainda bem que o salmista conhecia a causa última de seu sofrimento (Sl 102.10). Aqui, ele usa as figuras da cinza (símbolo daquilo que não tem valor) e das lágrimas (símbolo da tristeza e da dor). No Salmo 32, o salmista descreve a mesma situação, valendo-se de outra figura: “Dia e noite a tua mão [a mão de Deus] pesava sobre mim” (v. 4).

“Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos” (Editora Ultimato, 2006).

Última atualização em Seg, 27 de Julho de 2009 11:42
 
O Ministério Operação Reconstrução é Afiliado a Igreja Presbiteriana de Rio Doce - Olinda-PE